sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Vídeo-Aula Rede de Intercessão Agosto/16

A paz de Jesus amados irmãos e irmãs.

 
Disponibilizamos a vídeo-aula da Rede Nacional de Intercessão deste mês de agosto e pedimos que divulguem entre os coordenadores diocesanos de seu estado.
 
Pace assistir clique neste link: https://youtu.be/8MWZrZUa2rA
 
Ao acessar o vídeo, inscreva-se no nosso canal do YouTube, assim você será notificado automaticamente quando novos vídeos forem postados.
 
Deus os abençoe!

Rede Intercessão Agosto 2016

Muitas vezes focamos o Ministério de Jesus, de ensino, cura e libertação durante a sua vida pública. No entanto, o ministério eterno de Jesus é a intercessão, conforme a Carta aos Hebreus nos diz: “Agora, porém, Cristo recebeu um ministério superior. Ele o mediador de uma aliança bem melhor, baseada em promessas melhores” (Hb. 8,6). Como Deus-homem, Jesus fica entre Deus e o homem, participando das naturezas de ambos e, por esse fato, sendo mais apto a atuar como mediador entre Deus e o homem.
Ele é o mediador no sentido absoluto da palavra, de uma forma que ninguém mais pode ser. “Porque há um só Deus e há um só mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo, homem que se entregou como resgate por todos...” (1Tm. 2,5-6). O objetivo principal de sua mediação é a salvação de cada pessoa humana no sentido de restaurar a amizade entre Deus e o homem.
A expiação pelos pecados realizou-se na Cruz. A paixão de Cristo, culminando em sua morte na Cruz, é o maior ato de intercessão oferecido por Jesus. Depois de ter morrido e ressuscitado dos mortos, o Ministério de Intercessão de Jesus continua à direita de Deus, para onde Ele ascendeu: “Quem os condenará? Cristo Jesus, que morreu, ou melhor, que ressuscitou, que está à mão direita de Deus, é quem intercede por nós!” (Rm. 8,34).
Jesus viveu em Nazaré por trinta anos, após o que Ele se empenhou em seu Ministério público por três anos. Agora Ele intercede à direita do Pai para que todos possam ser salvos. “É por isso que lhe é possível levar a termo a salvação daqueles que por ele vão a Deus, porque vive sempre para interceder em seu favor.” (cf. Hb 7,25).
A obra que permanece inacabada é a intercessão, porque milhões ainda estão para ser salvos. Na verdade, saber que Jesus continua seu Ministério de Intercessão à direita de Deus é bastante edificante e encorajador para nós. Isso implica que Jesus tem se empenhado no Ministério de Intercessão por mais de dois mil anos. Também fica claro que a intercessão é a mais alta prioridade na mente de Jesus. E continuará até que Ele volte em glória para julgar os vivos e os mortos. Isso não deixa dúvidas sobre a importância inestimável da intercessão para a salvação das almas.
A intercessão nos impulsiona para uma parceria sagrada com Jesus Cristo, o filho de Deus entronizado. A Escritura chama todos os cristãos de cooperadores de Deus (cf. 1Cor. 3,9; 2Cor. 6,1). “Vós, porém, sois uma raça escolhida, um sacerdócio régio, uma nação santa, um povo adquirido para Deus...” (1Pe. 2,9). Jesus quer que nós, os escolhidos, sejamos seus parceiros no Ministério de Intercessão.
Na intercessão, entramos no círculo onde partilhamos o mesmo fardo com Jesus e somos capazes de ouvir o clamor das pessoas que ainda estão para serem salvas. Jesus entregou sua vida em favor de cada pessoa que já viveu nesse mundo. E agora, como nosso Sumo Sacerdote ou Intercessor, Ele vive sempre para levar pessoas a aceitarem sua proposta de salvação conquistada por sua Paixão, Morte e Ressurreição.
Ó maravilhosa intercessão de nosso bendito Senhor Jesus, não só porque garantiu nossa aceitação e perdão pelo Pai, mas também porque nela nos tornamos parceiros e cooperadores atuantes. Agora, entendemos melhor o que é interceder e por que tal ação possui tanto poder. Deus Filho é o nosso intercessor entronizado e Deus Espírito Santo é o intercessor que mora em nós, unindo-nos a Deus Pai em nossa intercessão. Jesus nos chama para sermos seus cooperadores ou parceiros na intercessão, algo que devemos considerar uma grande honra.
Que nossa intercessão se torne nossa vida de comunhão com Deus. Descobriremos, assim, que não só se cumprirão as promessas do poder de Deus no nosso Ministério, mas, muito mais importante, ao permanecermos em Cristo e ele em nós, seremos participantes da própria alegria dele de abençoar e salvar vidas.
Deixemo-nos ser parceiros com Jesus, o intercessor por excelência!
Deus te abençoe!
Núcleo Nacional do Ministério de Intercessão

INTENÇÕES PARA ESTE MÊS
1.    Para que cesse a violência no Brasil e no mundo, especialmente durante os Jogos Olímpicos que acontecerão na cidade do Rio de Janeiro nos dias 5 a 21 de agosto de 2016.
2.    Pelo Encontro Nacional dos Coordenadores Estaduais do Ministério de Intercessão nos dias 09 a 11/09/2016 em Curitiba.
3.    Pela erradicação dos vírus causadores da Dengue, Zika e Chikungunya .
4.    Pela situação política, econômica e moral em nosso País.
5.    Pela Reunião de Oração do Grupo de Oração (pelo pregador, dirigente, músicos e demais servos e pelas pessoas que participam da Reunião de Oração).
6.    Pelos Grupos de Oração na Diocese, no Estado e no Brasil.
7.    Pelos Ministérios da RCC no Grupo de Oração, na Diocese, no Estado e no Brasil.
8.    Pelas necessidades espirituais e financeiras dos escritórios diocesano, estadual e nacional da RCC.
9.    Pelos projetos da RCC na Diocese, no Estado, no Brasil na América Latina e no Mundo.
10.  Pelos eventos de evangelização da RCC no Grupo de Oração, na Diocese, no Estado e no Brasil.
11.  Pela Reunião dos Conselhos Diocesano, Estadual e Nacional neste ano.
12.  Pela missão de GilbertoGomes Barbosa a frente da presidência internacional da Fraternidade Católica - FRATER. (A FRATER é o órgão de serviço criado com a missão de atender as Novas Comunidades Carismáticas Católicas de Vida e Aliança. Fundada pelo Pontifício Conselho para os Leigos em 1990, seu objetivo principal é promover a comunhão, partilha e ajuda mútua entre seus membros).
13.  Pelas coordenações do Grupo de Oração, da RCC na Diocese, no Estado e no Brasil (Coordenadora Nacional: Katia Roldi Zavaris e sua família).
14.  Pela Santa Igreja, pelo Santo Padre, o Papa Francisco, pelo Bispo diocesano, pelos Sacerdotes, Diáconos, Religiosos e Religiosas e pelos Seminaristas.
15.  Pelas casas de missão da RCCBRASIL e pelos missionários e missionárias.
16.  Pela construção da Sede Nacional da RCC do Brasil e pelos seus colaboradores.
17.  Para que todos os membros da RCC do Brasil busquem a unidade e se abram para a moção da Reconstrução.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Mês de junho 2016 vídeo-aula

A paz de Jesus amados irmãos e irmãs.

Disponibilizamos a vídeo-aula da Rede Nacional de Intercessão deste mês de junho e pedimos para divulgar entre os coordenadores diocesanos de seu estado.
 
Para assistir clique neste link: https://youtu.be/tolrWWmzjGk

Deus os abençoe!

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Rede Nacional de Intercessão JUNHO 2016

Rede Nacional de Intercessão: A ação da intercessão na salvação das almas

Apesar de recebermos as graças necessárias para a salvação, todo mundo ainda precisa de graças especiais para perseverar. Isso ocorre porque a decadência de uma alma geralmente segue um processo.
Primeiro, a pessoa comete ingratidões que causam um certo retraimento da graça. Isso faz com que a pessoa, ainda quando em estado de graça, exponha gravemente sua salvação. Ela necessita, portanto, de graças excepcionais para se manter no estado de graça e não cair em pecado mortal. A nossa maldade demonstra que não podemos perseverar na vida espiritual sem um apoio especial.
Ademais a natureza humana é tão fraca que muitas vezes as pessoas abusam da graça de tal forma que é impossível encontrar quem pratique a fidelidade suficiente para salvar-se sem a intervenção de um mediador junto a Nosso Senhor Jesus Cristo, a fonte da graça. Por causa disso, a atuação de um(a) intercessor(a) é importantíssima, pois ajuda a alma a suprir, por meio dos pedidos dele(a), as graças para ser atendida no sentido de obter a disposição e até mesmo os meios para a sua salvação.
A oração de intercessão é uma arma espiritual que tem resultados práticos em relação a Deus, pois realiza a Sua vontade em alcançar as pessoas, abrindo-as para o Evangelho (cf. ITm. 2,3-4), utiliza as armas de Deus, que são poderosas, pois são as maiores forças do mundo (cf. IICor. 10,4), aos outros quebranta o coração resultando na salvação da alma (cf. Sl. 52,7) e tira a venda dos olhos daqueles que estão cegos (cf. IICor. 4,3-4; Sl. 118,18).
O objeto da intercessão pode até ser desprezível aos nossos olhos, ou seja, o intercessor pode interceder por um rebelde, por uma pessoa que lhe fez algum mal, por um criminoso, isso na verdade não importa. Deus ouve essa oração de súplica, quando o intercessor deixa de orar por ele mesmo, e passa a orar mais pelos outros. Isso toca o coração de Deus. Nada nos faltará se por acaso nos "esquecermos" de pedir algo que necessitamos, ou de orar pelas nossas necessidades pessoais. Deus bem sabe o que precisamos.
Jesus, na cruz do Calvário, no seu maior sofrimento e humilhação, fez uma oração por aqueles que O estavam matando. A oração de Jesus foi: “Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem.” (Lc. 23,34). Isso revela um coração movido pelo amor. Apesar da maldade ou da crueldade, o intercessor clama a bênção de Deus por aqueles que precisam da salvação e por meio desta oração o Senhor pode salvar uma alma perdida.
Um bom exemplo do que estamos afirmando é um episódio da vida de santa Teresinha do Menino Jesus que "inspirada pelo Espírito Santo, assumiu junto a Jesus a intenção de interceder permanente e indistintamente por todos os pecadores para que suas almas fossem salvas ao fim desta vida terrena.
Foi aí que sua missão principal passou a ser: salvar almas para Jesus! Três meses depois, Deus, confirmando a ela que esta era a Sua perfeita vontade, fez que ela tomasse conhecimento, por meio da imprensa, da existência de um assassino cruel que seria condenado à morte por seus crimes hediondos: o assassinato de duas mulheres e uma criança.
Certa de que ele morreria sem a graça da salvação, ela começou a interceder por ele a distância, clamando por sua alma e pedindo a sua irmã Celina que mandasse celebrar missas nesta intenção: pela salvação da alma daquele facínora impenitente, sem citar seu nome, Pranzini, então conhecido por toda a França como um grande e cruel criminoso.
Assim, com a cumplicidade de sua irmã Celina, que já era religiosa carmelita, ambas começaram a oferecer preces e sacrifícios para a salvação daquela alma para Jesus. A jovem Teresinha, motivada pela fé que crescia dia a dia em seu coração, apesar da aparente dificuldade de Pranzini aceitar Jesus como seu Salvador, tinha certeza de que suas preces não seriam em vão. Mas, como era seu costume, ousou pedir ao Bom Deus que lhe desse um sinal de que este seu pedido seria atendido, o que lhe foi concedido.
Apesar de seu pai Luis proibir as filhas de ler jornais, Teresinha, furtivamente, lia as notícias que falavam da execução de Pranzini, que se aproximava, percebendo, para sua tristeza, que ele se recusara a confessar-se com um padre para receber a absolvição e a misericórdia divina. Mas ainda assim ela confiou e continuou a sua intercessão pela salvação de sua alma, até que no dia da execução, quando ele seria enforcado em praça pública, antes de receber a corda no pescoço, Pranzini, tomado por uma súbita inspiração, se voltou para o padre que o acompanhava, pegou o crucifixo em suas mãos e beijou por três vezes as Santas Chagas de Jesus, caindo em prantos.
Para Teresinha aquele foi o sinal do arrependimento de Pranzini, pois imediatamente ela se lembrou da experiência que tivera em seu chamado para salvar almas, quando viu o precioso sangue de Jesus saindo das chagas de Suas santas mãos.
A partir daí a intenção de Teresinha de salvar almas através da intercessão se intensificou e passou a ser sua grande missão aqui na terra e no Céu, onde ela diariamente intercede por todos os que pedem seu auxílio neste mundo.
Ao longo de toda a sua vida terrena, Teresinha mandou celebrar missas pelo sufrágio da alma de Pranzini, porque ele foi sua primeira experiência na missão de salvar almas para Jesus, como ela havia se comprometido com seu querido esposo."[1]
Este exemplo da vida de Santa Teresinha ilustra muito bem o poder da oração de intercessão diante de Deus, mesmo que o objeto da oração seja uma causa que julgamos impossível de alcançar. Na verdade, nada é impossível para Deus que age através das nossas orações e sempre está disposto a salvar a quem se encontra perdido.
A intercessão também atua indiretamente na alma quando estamos intercedendo por outras intenções, como por exemplo, quando intercedemos por nosso Grupo de Oração ou em algum evento de evangelização. Ao orarmos pelos pregadores, músicos e dirigentes de oração, estamos indiretamente intercedendo para a salvação de todas as pessoas que frequentarão a Reunião de Oração do nosso Grupo de Oração naquela semana ou daquele encontro pelo qual estamos intercedendo. Deus Pai, com sua sabedoria e misericórdia infinitas, sabe utilizar esta oração para o benefício daqueles que mais necessitam de salvação. Assim a nossa intercessão atinge o seu principal objetivo que é a salvação de todas as pessoas, tal como é o objetivo do Ministério de Jesus que, diante do Pai, intercede continuamente por toda a humanidade.
Deus te abençoe!

Núcleo Nacional do Ministério de Intercessão


[1] Livro 30 dias com Santa Teresinha do Menino Jesus; de Antonio Miguel Kater Filho


INTENÇÕES PARA ESTE MÊS
1.    Para que cesse a violência no Brasil e no mundo.
2.    Pela erradicação dos vírus causadores da Dengue, Zika e Chikungunya .
3.    Pela situação política, econômica e moral em nosso País.
4.    Pelo XXXII Congresso Nacional da RCCBRASIL nos dias 07 a 10/07/16 em Aparecida/SP.
5.    Pela Reunião de Oração do Grupo de Oração (pelo pregador, dirigente, músicos e demais servos e pelas pessoas que participam da Reunião de Oração).
6.    Pelos Grupos de Oração na Diocese, no Estado e no Brasil.
7.    Pelos Ministérios da RCC no Grupo de Oração, na Diocese, no Estado e no Brasil.
8.    Pelas necessidades espirituais e financeiras dos escritórios diocesano, estadual e nacional da RCC.
9.    Pelos projetos da RCC na Diocese, no Estado, no Brasil na América Latina e no Mundo.
10.  Pelos eventos de evangelização da RCC no Grupo de Oração, na Diocese, no Estado e no Brasil.
11.  Pela Reunião dos Conselhos Diocesano, Estadual e Nacional neste ano.
12.  Pela missão de Gilberto Gomes Barbosa a frente da presidência internacional da Fraternidade Católica - FRATER. (A FRATER é o órgão de serviço criado com a missão de atender as Novas Comunidades Carismáticas Católicas de Vida e Aliança. Fundada pelo Pontifício Conselho para os Leigos em 1990, seu objetivo principal é promover a comunhão, partilha e ajuda mútua entre seus membros).
13.  Pelas coordenações do Grupo de Oração, da RCC na Diocese, no Estado e no Brasil (Coordenadora Nacional: Katia Roldi Zavaris e sua família).
14.  Pela Santa Igreja, pelo Santo Padre, o Papa Francisco, pelo Bispo diocesano, pelos Sacerdotes, Diáconos, Religiosos e Religiosas e pelos Seminaristas.
15.  Pelas casas de missão da RCCBRASIL e pelos missionários e missionárias.
16.  Pela construção da Sede Nacional da RCC do Brasil e pelos seus colaboradores.
17.  Para que todos os membros da RCC do Brasil busquem a unidade e se abram para a moção da Reconstrução.

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Rede Nacional de Intercessão MAIO 2016

Rede Nacional de Intercessão: tentações que nos impedem de orar


Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca”. (Mt 26.41).
A tentação é a instigação que induz o desejo de algo. Pode tratar-se de uma pessoa, uma coisa, uma circunstância ou outro tipo de estímulo. A tentação está associada à sedução e à provocação.
No âmbito religioso, a tentação é a incitação a pecar por parte do Diabo. O Diabo pode provocar o ser humano levando-o a fazer ou a deixar de fazer algo, aproveitando-se da fraqueza intrínseca do homem para o afastar de Deus.
O ser humano vive uma luta constante contra as tentações que o tentam enveredar pelo caminho mais fácil, mas afastado dos mandatos divinos. Um exemplo bíblico está na tentação que o Demônio coloca no caminho de Jesus e Judas: enquanto Jesus não acede a desobedecer, Judas acaba por trair o seu mestre.
Quando se fala em tentação deve ficar bem claro que só é tentado quem tem compromisso a não fazer algo por alguma razão. No nosso caso, somos tentados a pecar e nos esforçamos para não fazê-lo, pois sabemos que o pecado é rebelião contra o nosso Deus e certamente seremos separados de sua comunhão se nos entregarmos a ele deliberadamente (cf. Is. 59, 1-2).
A tentação pode ser proveniente tanto de nós mesmos (cf. Tg. 1,13-15) como do Diabo (cf. Lc. 22,31) e não sobrevém a nós acima do que possamos suportar (cf. 1Cor. 10,13), neste versículo vemos também que Deus não nos pode tentar, porém Ele pode permitir tal coisa, mas ao mesmo tempo nos dá as condições para não sucumbir, pois Ele conhece nossa estrutura e lembra que somos pó (cf. Sl. 103,14).
Quem se propõe a orar é constantemente tentado a adiar, atenuar, tornar rotina ou até mesmo suprimir sua oração. O diabo costuma sussurrar ao ouvido de quem quer orar: “Não, agora você tem muitas coisas para fazer, deixe isso para depois” (um depois que nunca chega). Ou se, por exemplo, a pessoa se propôs a orar meia hora, sente-se tentada a abandonar a oraçãodepois de dez minutos, achando que já orou suficientemente, mais do que muitas outras pessoas.
Também surgem tentações sob a forma de distrações, de recordação do que se deixou pendente, a pessoa pode ser chamada, interrompida, o telefone pode tocar… Muitas coisas podem interromper a oração.
Cuidado: são tentações. Mas o que fazer nestes casos? Santo Inácio de Loyola aconselhava fazer o contrário do que a tentaçãosugere. Por exemplo, se você decidiu orar meia hora, mas, depois de 15 minutos, já se vê tentado a terminar, proponha-se a orar não somente a meia hora, e sim 15 minutos a mais. Ao agir assim, você conseguirá superar a tentaçãode recortar a oraçãoe o tentador provavelmente não voltará a lhe apresentar este tipo de proposta.
Deve-se admitir que essas tentações são poderosas. Mas há meios para resistir, além das orações que já conhecemos, podemos ainda seguir estes passos:

·         Primeiro identifique a tentação mais difícil de resistir.
·         Pergunte-se: ‘Quando é mais provável que essa tentação ocorra?
·         Na escola?  Quando estou sozinho(a)? No trabalho? Outras ocasiões?
·         Agora que você identificou a tentação e determinou quando é mais provável que ela ocorra, você estápronto para agir. Sua prioridade é descobrir como diminuir ou eliminar a possibilidade de se deparar com essa tentação. Quando Jesus estava “sendo tentado por Satanás”, ele rejeitou a tentação imediatamente. (cf. Mc. 1,13). Por quê? Porque Ele já sabia qual era sua posição quanto aos assuntos levantados ali. Jesus já havia decidido obedecer a seu Pai em todas as ocasiões. (cf. Jo. 8,28-29).
·         Lembre-se de que, ao ceder a uma tentação, você se torna escravo dos seus próprios desejos. (cf. Tt. 3,3). Por que permitir que eles o controlem? Seja maduro e controle seus desejos, em vez de permitir que eles controlem você. (cf. Cl. 3,5).E sempre ore para que não continue a fazer isso. (cf. Mt. 6,13).

Vencemos as tentações através da participação nos Sacramentos, adoração e participação de encontros de espiritualidade. Assim orientamos aos intercessores e intercessoras a participarem ativamente dos Sacramentos da Comunhão e da Penitência, bem como participar do XXXII Congresso Nacional da RCCBRASIL nos dias 07 a 10 de julho de 2016 em Aparecida/SP como forma de fortalecer a sua espiritualidade. 
Que o Senhor nos envie o Seu Espírito para adquirirmos sabedoria e fortaleza para vencermos as tentações.
Deus nos abençoe!

Núcleo Nacional do Ministério de Intercessão

INTENÇÕES PARA ESTE MÊS
1.    Para que cesse a violência no Brasil e no mundo.
2.    Pela erradicação dos vírus causadores da Dengue, Zika e Chikungunya .
3.    Pela situação política, econômica e moral em nosso País.
4.    Pelo XXXII Congresso Nacional da RCCBRASIL nos dias 07 a 10/07/16 em Aparecida/SP.
5.    Pela Reunião de Oração do Grupo de Oração (pelo pregador, dirigente, músicos e demais servos e pelas pessoas que participam da Reunião de Oração).
6.    Pelos Grupos de Oração na Diocese, no Estado e no Brasil.
7.    Pelos Ministérios da RCC no Grupo de Oração, na Diocese, no Estado e no Brasil.
8.    Pelas necessidades espirituais e financeiras dos escritórios diocesano, estadual e nacional da RCC.
9.    Pelos projetos da RCC na Diocese, no Estado, no Brasil na América Latina e no Mundo.
10.  Pelos eventos de evangelização da RCC no Grupo de Oração, na Diocese, no Estado e no Brasil.
11.  Pela Reunião dos Conselhos Diocesano, Estadual e Nacional neste ano.
12.  Pelas coordenações do Grupo de Oração, da RCC na Diocese, no Estado e no Brasil (Coordenadora Nacional: Katia Roldi Zavaris e sua família).
13.  Pela Santa Igreja, pelo Santo Padre, o Papa Francisco, pelo Bispo diocesano, pelos Sacerdotes, Diáconos, Religiosos e Religiosas e pelos Seminaristas.
14.  Pelas casas de missão da RCCBRASIL e pelos missionários e missionárias.
15.  Pela construção da Sede Nacional da RCC do Brasil e pelos seus colaboradores.
16.  Para que todos os membros da RCC do Brasil busquem a unidade e se abram para a moção da Reconstrução.

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Vídeo-aula Rede Nacional de Intercessão mês de abril.

A paz de Jesus amados irmãos e irmãs.

Disponibilizamos a vídeo-aula da Rede Nacional de Intercessão deste mês de abril.
 
Para assistir clique neste link: https://youtu.be/8j1FyK7_Rds

 
Deus os abençoe!
 
 
Luiz César MartinsMinistério de Intercessão RCCBRASIL
Vamos! Reconstruamos! (Ne. 2,18b)

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Rede Nacional de Intercessão ABRIL 2016

Rede Nacional de Intercessão: obstáculos que dificultam a oração



Como posso perceber os sussurros do Senhor em meu interior, se ele está cheio de obstáculos? Por que não ouço o Espírito Santo em meu interior? Por que não O sinto? Não O percebo nas diferentes situações? Não consigo discernir Sua vontade? Não reconheço Suas inspirações ou Suas moções?
Quando nos vemos nessas situações, nosso ministério fica comprometido, então é preciso buscar auxílio e grande ajuda será o de sabermos onde está a nossa fraqueza, o nosso erro, as nossas falhas e até mesmo onde estamos pecando.
O homem, ao ser criado por Deus, possuía harmonia e equilíbrio em seu conjunto corpo, alma e espírito, mas pelo pecado original houve um desiquilíbrio por onde entraram o sofrimento, a dor, a doença e a morte.                                                                                                                                                                  
Tanto no corpo como na alma, somos acometidos por tentações perigosas que nos levam a cair vertiginosamente no pecado do egoísmo, da vaidade, do orgulho, da sensualidade, da imaginação desvairada, da falta de perdão, da gula, do comodismo, etc.
É por essa razão que, algumas vezes quando estamos orando nos sentimos sufocados, forçamos “uma barra” para conseguir orar; outras vezes nem conseguimos terminar a oração. Os céus parecem fechados, de bronze. Estes sinais são sintomas espirituais de que existem realmente barreiras que impedem que a oração flua. Então, precisamos descobrir porque a oração não está fluindo.
Um grande obstáculo à oração é a decisão de não perdoar a quem nos causou algum mal. Quando nos recusamos a perdoar, uma raiz de amargura cresce em nosso coração que abafa nossas orações. Como podemos esperar que Deus vai nos responder se cultivamos ódio e amargura para com as outras pessoas e não estamos dispostos a perdoá-las?
Esse princípio foi ilustrado muito bem na parábola do servo que não perdoava em Mateus 18,23-25. O princípio dessa história é que Deus já nos perdoou um grande débito (nosso pecado) e Ele quer que perdoemos nosso irmão do mesmo modo que fomos perdoados. Recusar-se a agir assim vai prejudicar as nossas orações.
Somos filhos e filhas de Deus e quando queremos falar algo com nosso Pai, naturalmente não devem existir bloqueios e nem dificuldades, a não ser que predominem em nossa alma mentiras, omissão, hipocrisia, culpa, malícia, maus pensamentos, etc.
Um pecado não confessado também pode impedir o fluir da oração: Nossa oração deve fluir com naturalidade. Qualquer sinal de impedimento não é mera coincidência. Estes tetos precisam ser quebrados para que nossa oração chegue ao céu.
Quando oramos temos sensações inexplicáveis, e a maior delas é a certeza de que o Pai está ali pertinho nos ouvindo e respondendo. Porém, se você não sente prazer na oração, se não consegue interceder, na verdade pode existir uma necessidade de cura, de arrependimento e por vezes, até, a necessidade de quebra de maldições: você precisa então refazer a sua amizade com Deus para que a sua oração possa fluir.
Eis a razão porque o homem em desequilíbrio precisa ser curado, restaurado, regenerado em todo o seu ser. Se a causa deste desequilíbrio foi no corpo, há necessidade de cura física; se foi na mente, há necessidade de cura interior; se foi no espírito, precisa da cura espiritual ou libertação (sacramento da reconciliação) e todos esses recursos servem para auxiliar na salvação do homem, tão almejada pelo seu Criador.
Rogamos à Nossa Senhora para que os seus momentos com Deus sejam agradáveis. Que você consiga sentir o deleite e o gozo de estar em Sua presença. Que você entenda que a oração é um dos grandes e mais lindos privilégios do cristão.
Deus te abençoe!

Núcleo Nacional do Ministério de Intercessão

INTENÇÕES PARA ESTE MÊS

1.    Para que cesse a violência no Brasil e no mundo.

2.    Pela erradicação dos vírus causadores da Dengue, Zika e Chikungunya .

3.    Pela situação política, econômica e moral em nosso País.

4.    Pela Reunião de Oração do Grupo de Oração (pelo pregador, dirigente, músicos e demais servos e pelas pessoas que participam da Reunião de Oração).

5.    Pelos Grupos de Oração na Diocese, no Estado e no Brasil.

6.    Pelos Ministérios da RCC no Grupo de Oração, na Diocese, no Estado e no Brasil.

7.    Pelas necessidades espirituais e financeiras dos escritórios diocesano, estadual e nacional da RCC.

8.    Pelos projetos da RCC na Diocese, no Estado, no Brasil na América Latina e no Mundo.

9.    Pelos eventos de evangelização da RCC no Grupo de Oração, na Diocese, no Estado e no Brasil.

10.  Pela Reunião dos Conselhos Diocesano, Estadual e Nacional neste ano.

11.  Pelas coordenações do Grupo de Oração, da RCC na Diocese, no Estado e no Brasil (Coordenadora Nacional: Katia Roldi Zavaris e sua família).

12.  Pela Santa Igreja, pelo Santo Padre, o Papa Francisco, pelo Bispo diocesano, pelos Sacerdotes, Diáconos, Religiosos e Religiosas e pelos Seminaristas.

13.  Pelas casas de missão da RCCBRASIL e pelos missionários e missionárias.

14.  Pela construção da Sede Nacional da RCC do Brasil e pelos seus colaboradores.

15.  Para que todos os membros da RCC do Brasil busquem a unidade e se abram para a moção da Reconstrução.